Carregando...
Minas Láctea 2019

EPAMIG traz ambiente de inovação para o Minas Láctea 2019

A EPAMIG trouxe para o Minas Láctea 2019 um ambiente de inovação totalmente voltado para o diálogo e a construção de parcerias entre representantes do ramo laticinista do Brasil. O espaço, contruído em forma de estande em uma área nobre do Expominas de Juiz de Fora, agregou empresas públicas, privadas e demais interessados na cadeia produtiva do leite para prospectar ações de melhorias dos produtos lácteos e de derivados. O ambiente de inovação veio ao encontro das palavras da presidente da EPAMIG, Nilda de Fátima. Logo na solenidade de abertura do Minas Láctea, a presidente destacou que inovar é um dever de casa que deve ser feito todos os dias.

Pensar diferente pode ser uma alternativa viável em meio a crise que afetou o preço e a competitividade do leite produzido no Brasil nos últimos meses. De acordo com o chefe do Departamento de Inovação da EPAMIG, Thales Terra, é justamente no momento de crise que pensar diferente se faz necessário. “Devemos pensar novos métodos produtivos e novas formas de fazer as coisas para driblar a crise”, afirma.

Thales relembra o papel histórico da EPAMIG no lançamento de produtos e soluções inovadoras para o agronegócio mineiro e nacional. A empresa, que em 2019 completa 45 anos, possui tradição em disponibilziar para a sociedade tecnologias capazes de impactar a vida das pessoas e a economia do estado. Para Thales, o ambiente de inovação montado no Minas Láctea veio para potencializar esse compromisso da EPAMIG com a sociedade. “O ambiente de inovação serve para potencializar, para que a gente possa fazer em dez anos muito mais do que nós fizemos em 40. É o papel da nossa empresa de pesquisa levar inovação para cada um dos mineiros”, declara.

Além do ambiente de inovação, a EPAMIG trouxe para o Minas Láctea 2019 uma sala de inovação, iniciativa inédita em parceria com a Agência Polo do Leite. Entre os eventos da sala, o destaque ficou por conta do concurso InovaLácteos. A ideia do concurso foi distribuir problemas concretos enfrentados pela indústria do leite para a proposição de soluções por parte de pesquisadores inovadores.

O objetivo do InovaLácteos foi premiar as iniciativas com maior potencial de implementação nos laticínios e nas prateleiras de supermercados de todo o país. O vencedor da categoria geral, Ítalo Alvarenga, desenvolveu uma sonda capaz de analisar a qualidade do leite com parâmetros relacionados a contagem bacteriana. Junto a isso, a empresa de Ítalo, SmartMilk-IOT, desenvolveu um aplicativo que capta os dados da sonda e armazena em um banco de dados.

Já na categoria Desafio Verde Campo, o sistema Quality Track levou o primeiro lugar no concurso. O sistema permite uma rastreabilidade segura nas análises de perigos e pontos críticos de controle (APCC), com vistas na produção de alimentos seguros. Segundo a membro da equipe e técnica em laticínios pelo Instituto Cândido Tostes (ILCT), Ana Carolina Castanheira, o prêmio será reinvestido em novos projetos. “Temos uma equipe multidisciplinar muito grande envolvida nisso. Essa verba vai para novas pesquisas”, aponta.

Ítalo Alvarenga, à direita, acompanhado de Ana Carolina Castanheira, ao meio. Foto: Erasmo Pereira.

Entre as empresas parceiras no ambiente de inovação estão a Emater-MG e o IMA, vinculadas da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Embrapa – Gado de Leite, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas (Faemg), Agência de Inovação Polo do Leite, Sindicato da Indústria de Laticínios de Minas Gerais (Silemg), Conselho Nacional da Indústria de Queijo (Conil), Associação Brasileira da Indústria do Queijo (Abiq) e a Associação Brasileira da Indústria do Leite Longa Vida (ABVL).